Beato José de Anchieta será canonizado este ano, confirma Dom Damasceno

Roma, 27 Fev. 14 / 11:57 am (ACI).- Na manhã desta quarta-feira, 18, o Arcebispo de Aparecida e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Raymundo Damasceno, afirmou em coletiva de imprensa no Santuário Nacional que o Jesuíta, Beato José de Anchieta, será canonizado este ano em uma cerimônia presidida pelo Papa em Roma. A data da canonização que ainda será definida pela Santa Sé. Ainda segundo o prelado, esta poderia acontecer em abril.

O comunicado da Santa Sé sobre a canonização do beato veio por meio de um telefonema do próprio Papa Francisco a Dom Damasceno.  A notícia em favor do defensor dos indígenas, catequista, considerado apóstolo do Brasil, foi recebida com alegria pelo Cardeal.

“José de Anchieta deixou marcar profundas no início da colonização do Brasil, como também na sua evangelização. Eu creio que ele merece ser cultuado por toda a Igreja”, afirmou Dom Damasceno à Rádio Vaticano.

Ao responder positivamente, o papa nos enche de alegria e satisfação, principalmente nos locais por onde ele passou: São Paulo, Espírito Santo e Bahia. Ele é uma pessoa que marcou a nossa história desde o início”, afirmou o cardeal.

A cerimônia não será na praça de São Pedro, mas em uma das igrejas de Roma, disse ainda o presidente da CNBB à Rádio Vaticano. Na mesma ocasião serão canonizados missionários que se santificaram no Canadá.

Beato José de Anchieta, conhecido como o Apóstolo do Brasil, nasceu em 1534 em Tenerife, nas Ilhas Canárias. Ingressou na Companhia de Jesus e foi enviado como missionário ao Brasil. Foi ordenado sacerdote em 1566 e ocupou o cargo de superior de comunidades e provincial de toda a missão no Brasil, trabalho que foi realizado com grande sabedoria e segurança. Faleceu no ano 1597.

O beato foi escolhido como um dos intercessores da JMJ Rio 2013

Para acompanhar a canonização do Apóstolo do Brasil os fiéis podem recitar a oração ao Beato:

Bem-aventurado José de Anchieta,
missionário incansável e Apóstolo do Brasil,
abençoai a nossa Pátria e a cada um de nós.
Inflamado pelo zelo da glória de Deus, consumistes a vida na
promoção dos indígenas, catequizando, instruindo, fazendo o
bem. Que o legado de vosso exemplo frutifique novos apóstolos
e missionários em nossa terra.
Professor e mestre, abençoai nossos jovens, crianças e
educadores.
Consolador dos doentes e aflitos, protetor dos pobres e
abandonados, velai por todos aqueles que mais necessitam e
sofrem em nossa sociedade, nem sempre justa, fraterna e cristã. Santificai as famílias e comunidades, orientando os que regem os destinos do Brasil e
do Mundo.
Através de Maria Santíssima, que tanto venerastes na terra,
iluminai os nossos caminhos, hoje e sempre.

Amém.

(http://www.acidigital.com/noticia.php?id=26770)

Encontrada parte da relíquia de João Paulo II

Encontrada parte da relíquia de João Paulo II roubada em Abruzzo
Ladrões indicaram o local, mas ampola contendo o sangue do beato não foi encontrada

Por Redacao

ROMA, 30 de Janeiro de 2014 (Zenit.org) – Dois jovens adictos de 23 e 24 anos são os autores do roubo da relíquia de João Paulo II, roubada na noite de sábado, do santuário de San Pietro della Ienca, na montanha do Gran Sasso.

Detidos pela polícia nesta manhã em Aquila, os dois jovens confessaram o crime e indicaram aos investigadores o local onde estariam a teca e o crucifixo.

Estaria tudo bem se não fosse pelo fato de que não foi encontrada a relíquia, ou seja, o frasco contendo uma peça de roupa encharcada com o sangue do Papa polonês, que foi doado à igreja pelo Cardeal Dziwisz em 2011.

Os dois jovens confessaram ter jogado a reliquia num matagal, porque entraram em pânico. A versão não convence os investigadores, que continuam as investigações e também a interrogar os jovens. Detidos por um assalto em um ônibus, os adictos foram presos por suas próprias declarações que permitiram à polícia de Aquila relacionar o roubo da relíquia aos dois jovens. A polícia, portanto, continua em busca da ampola e está à procura de uma terceira pessoa, supostamente envolvida no roubo.

(Trad.:MEM)

Documentário sobre o Beato João Paulo II é apresentado na Espanha

Madri – Espanha (Quarta-feira, 18-12-2013, Gaudium PressComo uma adaptação do filme polonês ‘Tajemnica tajemnic’ -‘O Segredo dos segredos’-, foi recentemente lançado na Espanha o documentário “O Mistério de João Paulo II: de Fátima ao fim do comunismo”.beato_joao_paulo_ii.jpg

Preparado por Goya Produções de Espanha, o filme adapta a produção da obra de Rafael Porzezinski, que foi dirigida por Agnieszka Porzezinska e Pawel Sobczyk, e narra o papel desempenhado pelo Beato Pontífice, assim como o Cardeal polonês Stefan Wyszy?sk, na queda do império soviético.

“Seguimos o caminho espiritual do Cardeal Wyszy?sk e de João Paulo II. Descobrimos como estes grandes homens realmente contribuíram para a queda do comunismo e como graças à seu impulso e força espiritual, o povo polonês e o mundo inteiro, voltaram a sentir-se livres”, segundo destaca encristiano.com, site web da Goya Produções, que distribui o documentário.

Durante 45 minutos os fatos são apresentados por meio de testemunhos de especialistas e testemunhas do momento histórico, entre os quais se encontram o Cardeal Stanislaw Dziwisz, ex-secretário e amigo íntimo de João Paulo II.beato_joao_paulo_ii_2.jpg

Entre os temas apresentados, o documentário também sugere como a devoção do povo polonês teve um papel importante na queda do comunismo, onde o grande amor à Virgem Maria, em torno da imagem de Nossa Senhora de Czestochowa, se converteu na força dos poloneses, e na força da Igreja; e de como a ação divina ocorreu novamente na história.

É o que diz a Irmã Lúcia, vidente de Fátima, em um dos seus escritos que são citados no documentário, que refere-se à mudança que teve a história após a consagração do mundo ao Imaculado Coração de Maria, quando se evitou a guerra nuclear, que estava programada para os anos 80.

Um documentário que sem dúvida, como sublinham vários meios de comunicação, oferece uma especial perspectiva do legado do Papa polonês, quando se aproxima sua canonização, acontecimento que ocorrerá em 27 de abril do próximo ano, durante a festa do Domingo da Divina Misericórdia. (GPE/EPC)

(http://www.gaudiumpress.org/content/54056#ixzz2nunLY4gN)

Cardeal Dziwisz escreve livro sobre o Beato João Paulo II Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/52321#ixzz2jIcAxQc3 Autoriza-se a sua publicação desde que se cite a fonte.

Cidade do Vaticano (Quarta-feira, 30-10-2013, Gaudium Press) O livro “Eu vivi com um Santo”, escrito pelo Arcebispo de Cracóvia, Polônia, Cardeal Stanislaw Dziwisz, retratará a vida e trajetória do Beato João Paulo II.cardeal_dziwisz.jpg

A obra que será apresentada na próxima segunda-feira, 4 de novembro, em Roma, foi escrita com base nas conversas entre o futuro Santo e o jornalista Gian Franco Svidercoschi, ex-vice-diretor do jornal da Santa Sé “L’Osservatore Romano”.

O Cardeal Dziwisz chegou a ser secretário do Papa João Paulo II e afirmou ter vivido ao lado dele durante aproximadamente 40 anos. “Eu vivi ao lado de um Santo ou pelo menos durante quase 40 anos, todos os dias, eu vi de perto a santidade como eu sempre pensei que deveria ser”, ressaltou.

Após oito anos da morte do Santo Padre, o Arcebispo de Cracóvia iniciou seus trabalhos de pesquisa sobre o Beato para a criação de seu livro, buscando traçar um perfil extremamente detalhado da santidade dele, ajudando o público a entender melhor tanto o Papa que mudou a história da Igreja e do mundo, quanto Karol Wojtyla, através de uma dimensão mais humana e pessoal.

Anteriormente, em 2011, o Cardeal Dziwisz havia lançado o livro “Uma vida com Karol”. (LMI)

Da redação, com informações Radio Vaticano

(Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/52321#ixzz2jIOL1kKT)

Beato João Paulo II, rogai por nós!

Beato João Paulo II

João Paulo II, nascido Karol Józef Wojtyła (18 de Maio de 1920 -2 de Abril de 2005), foi papa de 16 de Outubro de 1978 até a sua morte. Teve o terceiro maior pontificado documentado da história. Foi o único Papa eslavo e polacoaté a sua morte, e o primeiro Papa não-italiano desde o holandês Adriano VI em 1522.

João Paulo II foi aclamado como um dos líderes mais influentes do século XX. Teve um papel fundamental para o fim do comunismo na Polónia e talvez em toda a Europa, bem como importância significante na melhora das relações da Igreja Católica com o judaismo, o islão e as igrejas ortodoxas e protestantes.

Foi um dos líderes que mais viajou na história, tendo visitado 129 países durante o seu pontificado. Sabia falar mutíssimos idiomas, além do polaco. Como parte de sua ênfase especial na vocação universal à santidade, beatificou 1 340 pessoas e canonizou 483 santos, quantidade maior que todos os seus predecessores juntos pelos cinco séculos passados. Em 2 de Abril de 2005, faleceu devido a sua saúde débil e o agravamento da doença de Parkinson. Em 19 de Dezembro de 2009 João Paulo II foi proclamado “Venerável” pelo seu sucessor papal, o Papa Bento XVI. Foi proclamado Beato em 1 de Maio de 2011.

João Paulo II, rogai por nós!

Bento XVI poderia participar da canonização de João Paulo II e João XXIII

VATICANO, 30 Set. 13 / 12:46 pm (ACI/EWTN Noticias).- O diretor do Escritório de Imprensa da Santa Sé, Padre Federico Lombardi, anunciou nesta manhã que o Bispo Emérito de Roma, Bento XVI, poderia participar da cerimônia de canonização dos Beatos João Paulo II e João XXIII, que presidirá o Papa Francisco no próximo dia 27 de abril, o segundo domingo depois da Páscoa, festa da Divina Misericórdia.

Durante a conferência de imprensa celebrada hoje no Vaticano, o Pe. Lombardi indicou que não está excluída a participação do Bispo Emérito de Roma, porque “não há motivo legal ou doutrinal pelo qual Bento XVI não possa participar de uma cerimônia pública”.

O Pe. Lombardi explicou que o Papa Francisco escolheu a data de 27 de abril devido à devoção de João Paulo II pela Divina Misericórdia e porque sua beatificação também se realizou na mesma festa, que em 2011 caiu no dia 1º de maio.

Além disso, expressou que se espera a participação de um grande número de peregrinos, já que “ao ser o segundo domingo depois Páscoa será a melhor ocasião do ano para que os peregrinos que queiram possam chegar a Roma”.

“Na entrevista no voo do Rio, o Papa teve umas palavras espontâneas e simpáticas sobre ambos os Papas, e definiu João Paulo II como um grande missionário como São Paulo, e disse que celebrar ao mesmo tempo estas canonizações deve ser um sinal para a Igreja de apreciar a santidade destes papas testemunhas dos nossos tempos ligados de diferentes maneiras ao Concílio Vaticano II”, concluiu o Pe. Lombardi.

Seria uma cerimônia de canonização sem precedentes para a Igreja: o Papa Francisco; que estaria acompanhado de seu antecessor, Bento XVI; canonizará ao iniciador do Concílio Vaticano II, o Beato João XXIII; e ao amado Beato João Paulo II, o chamado Papa peregrino.

(Fonte: ACI Digital)