Pais de um bebê que viveu apenas 10 dias realizam vídeo em sua homenagem

WASHINGTON DC, 18 Fev. 14 / 12:14 pm (ACI/EWTN Noticias).- Josh e Robbyn Blick, pais do menino Zion Isaiah Blick, que viveu apenas dez dias devido à Síndrome de Edwards, celebraram junto dele, com familiares e amigos, cada um dos seus dias de vida, e os registraram em fotografias e vídeos postados na internet.

Às 20 semanas de gravidez, os médicos informaram ao casal que Zion Isaiah tinha a Síndrome de Edwards, conhecida também como Trissomia 18, que é a presença de um cromossomo extra no par 18 que ocasiona anomalias diversas e problemas graves saúde terminando a vida do bebê, em alguns casos, em questão de dias.

Muitos bebês que apresentam esta condição falecem antes mesmo de nascer, e os médicos advertiram desta possibilidade a Josh e Robbyn.

Apesar disto, o casal seguiu adiante com a gravidez, e assim, Zion Isaiah nasceu no dia 11 de janeiro deste ano. O bebê nasceu com um problema no coração, o que reduziu sua esperança de vida.

Junto a seus amigos, família e seus outros filhos, Josh e Robbyn Blick acompanharam seu bebê e inclusive o levaram para casa. Junto dele celebraram cada dia até que ele faleceu no dia 21 de janeiro.

Josh compartilhou as fotos dos dias que viveram junto a seu filho através do Instagram, e apresentou um vídeo no qual recolheu os instantes vividos junto a Zion.

Em 29 de janeiro, oito dias depois da morte de Zion Isaiah, seu pai, Josh, expressou em sua conta de Twitter sua confiança de que seu filho agora está no Céu, escrevendo: “… parece que foi ontem. Dos meus braços aos Dele, sei que você é amado”.

(http://www.acidigital.com/noticia.php?id=26714)

ATOR SALVOU UM BEBÊ DO ABORTO ANTES DE RODAR FILME “BELLA”

WASHINGTON DC, 11 Dez. 07 / 07:35 pm (ACI).- Eduardo Verástegui, produtor e protagonista do filme pró-vida “Bella”, revelou a uma revista para adolescentes que antes de rodar o bem-sucedido filme teve a oportunidade de ir aos subúrbios de uma clínica abortista e aconselhar a um casal para que desistisse de abortar.

Em uma entrevista concedida ao LoveMatters.com, Verástegui relatou que decidiu participar de uma atividade pró-vida na Califórnia como parte da investigação sobre o filme.
“Cheguei à clínica e esqueci o filme. Impactou-me ver essas mulheres tão jovens de 15, 16, 17 anos, ingressando aí com rostos tristes e lágrimas. Rompeu-me o coração e não estava treinado para ajudar”, recordou.
Um dos ativistas pró-vida lhe pediu ajuda para estabelecer um diálogo com um casal de jovens mexicanos que apenas falava espanhol. O casal o reconheceu por seu trabalho em telenovelas, conversaram durante 45 minutos e lhes ofereceu toda a ajuda possível, incluindo seu número telefônico.
Alguns meses depois, Eduardo recebeu uma inesperada chamada. O casal teve o filho e o batizou como Eduardito. Eles queriam que o ator conhecesse o menino.
“Não podia falar. Foi o momento mais emocionante de minha vida. Mudou minha vida, foi espetacular. Fui visitá-los e pude carregar o pequeno Eduardito nos braços. Pela graça de Deus, tive a oportunidade de salvar esse bebê“, assinalou.
Copyright @ ACI Digital
(http://www.acidigital.com)

Uma bebê “inviável” completa 8 semanas de nascida e continua lutando pela sua vida nos EUA

Congressista Jaime Herrera Beutler

WASHINGTON DC, 19 Set. 13 / 03:50 pm (ACI/EWTN Noticias).- Os médicos disseram faz uns meses à congressista norte-americana Jaime Herrera Beutler que o bebê que estava no seu ventre não sobreviveria ao parto. A pequena Abigail apresentou a chamada Síndrome de Potter, que tem como característica uma insuficiência renal grave e a iminente morte do bebê depois do nascimento.

Entretanto, Abigail já tem oito semanas de vida graças a um tratamento experimental, ao enorme amor dos seus pais e a que a menina -como diz a sua mãe- é uma “lutadora”.

A Síndrome de Potter supõe uma falta crítica de líquido amniótico e a má-formação dos pulmões e dos rins do bebê.

Depois de inteirar-se da situação do bebê em maio, durante uma ultrassonografia de rotina, Herrera Beutler e seu marido publicaram um comunicado assinalando que “não há uma solução médica disponível para nós. Estamos rezando por um milagre”.

Em declarações a ABC News, a congressista recordou que “o médico disse que (a bebê) não é compatível com a vida. E enquanto ele o dizia, eu podia senti-la mexendo-se”.

“Essa é a sua personalidade. Isso é o que ela faz agora”, disse Herrera Beutler, indicando que a sua menina “é uma lutadora”.

Graças a um tratamento experimental realizado por um especialista do instituto Johns Hopkins a pequena conseguiu salvar-se. A terapia consistiu em injetar uma substância salina para substituir o líquido amniótico, permitindo que os pulmões se desenvolvam mais que na maioria de casos de Síndrome de Potter.

Abigail nasceu em 15 de julho.

O chefe de nefrologia pediátrica do Hospital para crianças Lucile Packard, Dr. Steven Alexander, um dos médicos de Abigail, assinalou que “é único na minha experiência que um bebê com as imagens de ultrassom que teve esta menina nasça com pulmões que possam sustentá-la”.

A menina permanecerá os próximos seis meses no centro médico, recebendo diálise diariamente até que possa receber um transplante de rins.

A mãe manifestou sua alegria porque seu bebê “sabe quem somos, ela continua respondendo e parece estar emocionada”.

“Temos a oportunidade de ser pais, temos a oportunidade de desfrutá-la. Disseram-nos que não teríamos essa oportunidade, por isso, cada dia é uma bênção”, assegurou.

(Fonte: ACI Digital)