Bogotá (Colômbia) realiza Congresso Mundial da Misericórdia

Bogotá – Colômbia (Segunda-feira, 10-02-2014, Gaudium Press) Anunciado pela Conferência Episcopal colombiana, o 3º Congresso Mundial da Misericórdia será realizado em Bogotá entre os dias 15 e 19 de agosto deste ano.

congresso_mundial_da_misericordia.jpg

Considerado uma contribuição da Igreja para a paz na Colômbia, o encontro será realizado pela primeira vez em um país latino americano. São esperados cerca de quatro mil pessoas, vindas dos cinco continentes.

O Secretário do Congresso, Padre Patrice Chocholski, explicou que, “na misericórdia de Deus, o mundo encontrará a paz e o homem a felicidade”.

Durante o evento, será discutido a relação entre a Misericórdia e a Missão Continental, um dos compromissos assumidos pela 5ª Conferência Geral do Episcopado Latino Americano e do Caribe, realizado em Aparecida, no mês de maio de 2007.

Por ocasião deste congresso, já está disponível o site intitulado “World apostolic congress on mercy” (www.wacomcolombia.org), contendo informações sobre o encontro. (LMI)

(http://www.gaudiumpress.org/content/55670#ixzz2t1UctQPP )

Colômbia: aplicativo para celulares convida a rezar pela paz

“Eu Rezo pela Paz” é o app que incentiva o fim da violência e da injustiça

Por Redacao

ROMA, 09 de Dezembro de 2013 (Zenit.org) – A Conferência Episcopal da Colômbia, com o apoio da Conferência dos Bispos dos Estados Unidos, desenvolveu o aplicativo para dispositivos móveis “Eu Rezo pela Paz”, iniciativa que incentiva a oração permanente pela paz no país. O app inclui canções, terço pela paz, uma novena, os tempos litúrgicos e uma mensagem do cardeal Rubén Salazar Gómez, arcebispo de Bogotá.

O cardeal convida todos os fiéis a baixarem o aplicativo “como um convite permanente para orar pela paz, para compreender a paz, para que a violência e a injustiça acabem na Colômbia”. Em conferência de imprensa, o purpurado apresentou o aplicativo que funciona nos sistemas operacionais Android, Windows Phone e iOS e que pode ser baixado nas respectivas lojas virtuais.

Salazar Gómez recordou que o conflito armado e todos os tipos de violência abalam crianças, jovens e famílias e encorajou os crentes a promoverem a paz como atitude interior de todos os cidadãos.

O episcopado pediu ainda que os fiéis e as pessoas de boa vontade participassem da campanha “Acenda uma velinha pela paz”, na vigília da solenidade da Imaculada Conceição, conhecida popularmente no país como a “Noite das Velinhas”, a fim de rezar pela reconciliação e pela paz na Colômbia.

O arcebispo de Bogotá fez referência também ao falecimento do líder sul-africano Nelson Mandela. “Ele nos deixa uma mensagem clara de que temos de respeitar a profunda dignidade de todos os seres humanos. Seu legado nos estimula a resolver os conflitos respeitando a todos”.

Salazar recordou que a paz na Colômbia exige vontade, gestos verdadeiros e o imediato fim da violência. Por isso, pediu que os pré-candidatos à presidência concentrem as suas propostas na paz e que a população entenda que a paz é um processo que inclui justiça, reparação, perdão e reconciliação.

Para saber mais sobre o app e sobre a iniciativa “Uma velinha pela paz”, acesse:

http://comunicacionespec.wix.com/advento2013

(Fonte: Agência Zenit)

Guerrilha proíbe celebração de Missas durante a semana no sul da Colômbia

Bogotá – Colômbia (Sexta-feira, 29-11-2013, Gaudium Press) Um grupo de guerrilheiros estabeleceu uma grave restrição para o apostolado da Igreja, em uma área de influência no sul da Colômbia: os sacerdotes não podem celebrar a Missa durante a semana. A principal queixa foi feita durante uma entrevista à uma emissora de rádio pelo Bispo de Mocoa – Sibundoy, a Diocese afetada, Dom Luis Alberto Parra. “Inicialmente a proibição era por toda a semana”, alertou o prelado, que descreveu que o protesto do povo forçou a guerrilha à permitir a celebração do sacramento nos finais de semana.

Pelas características de operação do grupo armado, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), esta situação afeta de maneira especial às áreas rurais, mas inclusive limitou o apostolado nas cidades de Puerto Asis e Puerto Guzmán. “Agora estamos na etapa de diálogo com os grupos armados que nos permitiram voltar a celebrar a Eucaristia nessas áreas da cidade, mas ainda não nos permitem ir para as zonas rurais onde as igrejas estão fechadas durante toda a semana”, descreveu Mons. Parra.

O antecedente imediatamente anterior à esta denúncia foi a ameaça sofrida por seis sacerdotes da região, que tiveram de ser transferidos para proteger suas vidas durante o mês de outubro. Sobre esta situação, disse o Padre Pedro Mercado, Secretário Adjunto da Conferência Episcopal da Colômbia, em nota divulgada pela agência Zenit. “Observamos com preocupação os problemas de segurança dos nossos Sacerdotes e Bispos, a quem é negada a liberdade de pregar a Palavra de Deus”, afirmou o sacerdote.

A Igreja, portanto, apelou às autoridades para que garantam os direitos dos católicos. De acordo com Padre Mercado, a hostilidade do grupo armado contra a Igreja tem sido consistente durante todo o conflito, mas tem aumentado nos últimos meses. O Relatório Internacional sobre Liberdade Religiosa, preparado em 2012 pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos, reconheceu os grupos armados ilegais na Colômbia como fonte de assassinatos, sequestros, extorsões e ameaças a líderes e membros de grupos religiosos, em especial, a fim de evitar seu trabalho humanitário, desenvolvimento e proteção dos direitos humanos no país. (EPC)

(http://www.gaudiumpress.org/content/53433#ixzz2mJVqTWeY )

Colômbia: bispos reiteraram oposição à adoção por casais do mesmo sexo

A posição da Igreja não é discriminatória; defende o desenvolvimento físico, psicológico e moral dos menores. A adoção é uma medida de proteção à criança e não um direito de quem adota

MADRI, 19 de Novembro de 2013 (Zenit.org) – Nos próximos dias, o Supremo Tribunal da Colômbia deve decidir em favor de um casal de mulheres do departamento de Antioquia que, desde 2009, exige a autorização para adotar o filho biológico de uma delas, concebido por meio de inseminação artificial. Em tal circunstância, a Conferência Episcopal da Colômbia, mais uma vez manifestou a sua oposição à adoção por casais do mesmo sexo.

Em comunicado divulgado segunda-feira, os bispos reiteraram que o posicionamento não reflete uma atitude discriminatória, mas a defesa do “desenvolvimento físico, psicológico e moral dos menores”. “Precisamos mostrar que a Igreja Católica na Colômbia está profundamente interessada em que sejam reconhecidos e protegidos os direitos legítimos de todos os cidadãos, sem discriminação” -afirmaram-.  “Com amor materno – continuam- a Igreja acolhe todos os homens e mulheres, em qualquer condição, conscientes de que, independentemente de sua orientação e até mesmo do comportamento sexual, todos gozam da mesma dignidade perante Deus e perante o Estado”.

Sendo assim, os bispos recordaram que a adoção é uma medida de proteção à criança e não um direito dos adotantes, “sejam eles homossexuais ou não”. Eles também fizeram notar que os menores têm direito a uma família “fundada no amor e no compromisso entre um homem e uma mulher”, conforme reconhecido no artigo 42 da Constituição. “Esse é um dever inescusável- destacaram- que as instituições estatais devem assumir com responsabilidade e independência frente a crescente influência da ideologia do gênero e as pressões de alguns meios de comunicação e grupos de interesse.” E alertaram que, estas devem também reconhecer os “valores éticos e sociais de seus cidadãos”.

Neste sentido, o episcopado indicou ao Tribunal que, antes de tomar uma decisão tão importante, “é necessário que se tenha presente e seja valorizado o fato de que a grande maioria dos colombianos têm manifestado oposição à adoção de crianças por casais do mesmo sexo.”

Finalmente, a Igreja na Colômbia espera que os juízes “tomem uma decisão em plena conformidade com os valores dos cidadãos e constitucionais.” E exortou aos fiéis e cidadãos a permanecerem “vigilantes e atentos” perante tais circunstâncias.

Informações: http://www.cec.org.co/images/Documentos/Comunicados_obispos/2013_Comunicado_sobre_adpcion_de_menores.pdf

(Fonte: Agência Zenit)