Toda a América Latina tem feito um grande esforço na formação e criação de Institutos da Família

Balanço do 2º Encontro Nacional das Assessorias de formação da Pastoral Familiar da CNBB

Por Redacao

BRASíLIA, 25 de Setembro de 2013 (Zenit.org) – Publicamos a seguir o balanço do 2º Encontro Nacional das Assessorias de formação da Pastoral Familiar enviado hoje a ZENIT pelo casal Raimundo (mais conhecido como Tico) e sua esposa Vera Lúcia, casal coordenador da comissão Nacional da Pastoral Familiar.

***

O 2º. Encontro Nacional das Assessorias de Formação da Pastoral Familiar, realizado nas dependências do Pontifício Instituto João Paulo II para Estudos sobre Matrimônio e Família (Salvador), nos dias 21 e 22 de setembro/2013, teve como objetivos: a) promover a unidade e a comunhão nos serviços de formação de agentes para a Pastoral Familiar, valorizando a diversidade das experiências existentes;  b) reforçar a importância e a necessidade da formação sistemática de agentes para a Pastoral Familiar, oferecida pela CNPF, através do INAPAF.

Conduzido pelo casal Tico e Vera, coordenadores da Comissão Nacional de Pastoral Familiar – CNPF, juntamente com os assessores pedagógicos do Instituto Nacional da Família e da Pastoral Familiar – INAPAF, esse encontro contou com o incondicional apoio do Presidente da Comissão Episcopal Pastoral – CEPVF, Dom João Carlos Petrini e do seu Assessor para o setor Vida, Padre Rafael Fornasier, acolhendo coordenadores de Pastoral Familiar e representantes dos Núcleos de Formação e Espiritualidade de diversos regionais da CNBB. Com a graça de Deus pode-se proclamar que esse encontro transcorreu em clima de paz e de serenidade e que os assuntos ali expostos, apreciados e discutidos foram esclarecedores e enriquecedores, servindo para otimizar a formação de agentes da Pastoral Familiar.

Concretamente, foi apresentada aos presentes uma proposta de GUIA DO AGENTE, com orientações práticas sobre a formação sistemática oferecida pelo INAPAF através das modalidades de Cursos: Presenciais, Semi-presenciais e à Distância. Na oportunidade, foi sugerido que a proposta do referido Guia fosse enviada para os demais casais regionais (nem todos se fizeram presentes), como forma de participação mais ampliada da apreciação do ali contido e, se for o caso, apresentação de sugestões.

Destaque se deve à abertura dos trabalhos no domingo, feita por Dom Petrini que, com serenidade e autoridade, parabenizou o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo INAPAF, enfatizando a importância da formação centrada no magistério da Igreja e pensada de uma maneira mais positiva e adequada à realidade, numa linguagem mais atualizada e mais  focada no anúncio da grandeza do amor gratuito vivido como dom de si mesmo, o que tem sido uma raridade dentro da igreja e da própria família. Alertou, ainda, sobre a necessidade do INAPAF fortalecer e expandir seu trabalho, estando atento às necessidades atuais de inovações. Na oportunidade, Dom Petrini informou, também, que toda a América Latina tem feito um grande esforço na formação e criação de Institutos da Família, estabelecendo uma rede de Institutos ligadas ao Pontifício Instituto da Família, em Roma, como forma de incentivar estudos mais aprofundados sobre o matrimônio e a família na sociedade contemporânea.

Encerrando o encontro foi aprovada uma carta de recomendações, onde os participantes se propuseram, entre outras, a envidar todos os esforços para criar e manter, entre as equipes de formação da Pastoral Familiar no Brasil, a unidade pedida pelo próprio  Jesus Cristo no evangelho de João,  “Para que todos sejam um, assim como tu, Pai, estás em mim e eu em ti…”, (Jo 17, 21), animando, criando e implantando os Núcleos de Formação e Espiritualidade em todos os regionais da CNBB e  estendendo-o às (arqui) Dioceses e Paróquias do Brasil.

Na expectativa de que esse encontro gere os frutos almejados, a Comissão Nacional de Pastoral Familiar, juntamente com a equipe nacional de assessoria pedagógica agradece a Deus pelas graças alcançadas e a todos os participantes que confiaram e abraçaram a proposta do encontro.

(Fonte: Agência Zenit)

É bom e belo ser Família

Mariolina Ceriotti Migliarese explica como a psicanálise nãoo afirma nada que está em contradição com a antropologia cristã

Por Antonio Gaspari

ROMA, 26 de Agosto de 2013 (Zenit.org) – Mariolina Ceriotti Migliarese trabalha na área de Neuropsiquiatria Infantil e atende em seu consultório particular como psicoterapeuta de adultos e casais. Por muitos anos tem se ocupado da formação de pais e professores. Ela colabora com a revista Fogli, na qual mantém uma coluna mensal. Casada desde 1973, tem seis filhosentre12 e 32 anos e duas netas.

É membro do Comitê Científico da fundaçãoHappy Child com sede em Arese (MI), que trabalha para o estudo, pesquisa, promoção, implementação, suporte e gestão de iniciativas no âmbito do apoio para a família. Realiza seminários, reuniões e conferências em muitas cidades italianas e em centros culturais.

Publicou pelas edições ARES A família imperfeita. Como transformar ansiedade e problemas em desafios apaixonantes (2011), O par imperfeito. Como transformar os defeitos em ingredientes de Amor (2012) e em julho deste ano de 2013 Cara doutora... Respostas para as famílias imperfeitas.

ZENIT encontrou a Dra. Ceriotti Migliarese no Meeting de Rimini, onde apresentou o livro de Claudio Risé, O pai, a liberdade, dom, e conduziu um encontro no stand doMovimento pela Vida. De acordo com a psicoterapeuta, “não há contradição entre a abordagemda verdadeirapsicologia ea antropologia cristã e é fácil “reconhecer que a antropologia cristã é o melhor modelo para a humanidade”.

“Por exemplo – explicou – sempre me impressionou a grande humanidade de João Paulo II. O Papa polaco é uma figura totalmente incarnada, aponto detornar-se santo”. “Olhando para a história da humanidade – observou –eusempre me pergunteiqualideologia, filosofia, cultura, religião tinha geradotantas pessoas belas e santas. “Nesse sentido, o cristianismo prepara e executa o melhor resultado do ser humano”, frisou.

Para a psicologia, “o problema hoje é que muitos cristãos não conhecem bem a antropologia”. Por esta razão, “somos obrigados a entender o que levamos conosco e por isso devemos aprofundar bem os aspectos da antropologia”. No que diz respeito àqueles que querem mudar a identidade e a constituição da família natural, Ceriotti Migliarese explicou que “do ponto de vista da realidadehá um ponto que não pode ser menosprezado, a identidade sexual.”

Existe um homem e uma mulher. O Gênesis fala de Deusque”homem e mulher os criou”. “É óbvio – explicou – que não é possívelser ambas as coisas, e que o ser humano é inerentemente limitado. Para alcançar as competências precisa do outro”. “Hoje – acrescentou – alguns querem negar que existe um limite que distingue os dois sexos e de maneira egoísta e onipotente pretendem se tornar criaturasde si mesmos. Esta forma de pensar está tentando apagar a beleza da diferença”.

“Nenhuma técnica sofisticada pode superar a beleza da unidade da procriação concebida entre homem e mulher. Se você quiser se tornar verdadeiramente humano precisa fortalecer-seem sua identidade sexual cuja beleza está em função da relação”. A realidade nos diz claramente que existem dois sexos distintos. A diferença cromossômica afeta todas as células e é funcional também à identidade psicológica.”A diferença é um valor- concluiu – e o conhecimento que adquirimos pode nos fornecer uma chance real de um melhor relacionamento entre homem e mulher.”

Traduzido do original italiano por Maria Emilia Maregas

(Fonte: Agência Zenit)

Educar para o amor verdadeiro

O QUE É?
É um programa de educação da
afetividade e da sexualidade
baseado na formação do
caráter.
MISSÃO
Educar um caráter forte pra viver 
uma sexualidade inteligente.
VISÃO
Adolescentes capazes de
cultivar um amor verdadeiro,
base de famílias estruturadas 
e felizes.
 
 

 

PRINCÍPIOS
 
A vida humana é o maior bem e deve inspirar sempre o máximo
respeito.
 
A sexualidade diz respeito a toda a pessoa e não apenas à sua
dimensão física.
 
Os adolescentes necessitam informação, motivação e apoio.
 
Os pais são os principais responsáveis pela educação dos filhos.

http://www.protegetucorazon.com.br/

“Deus não fala, mas tudo fala de Deus”

O filósofo francês, Voltaire, mesmo se confessando ateu e inimigo da Igreja, não podia deixar de dizer que: “O mundo me perturba e não posso imaginar que este relógio funcione e não tenha tido relojoeiro”… Os latinos chamaram o universo de mundo (= belo, lindo, maravilhoso); os gregos o chamaram de kosmos (= disciplinado, ordenado).

Todos os astros obedecem a rigorosas leis da mecânica celeste, e nenhum deles muda a sua trajetória por própria conta. Alguém já disse que: “Deus não fala, mas tudo fala de Deus.” São Paulo nos lembra na Carta aos Romanos que: “Desde a criação do mundo, as perfeições invisíveis de Deus, o seu sempiterno poder e divindade se tornam visíveis à inteligência por suas obras.” (Rom 1,19)Você pode chegar a Deus olhando a natureza e olhando para dentro de você. Deus é silencioso e discreto; Ele não faz sua auto propaganda. Ele não coloca placas em cada rosa, em cada pássaro, ou em cada criança, com os dizeres: “Feito por Deus”. Ele não é como os homens. Ele não põe na embalagem das frutas o seu nome, e nem mesmo diz que o Seu produto é o “melhor” do comércio, como todos fazem.

Você nunca viu escrito nas ondas do mar e nem nas estrelas: “Criado por Deus”. O mundo é tão belo, tudo funciona tão automaticamente bem e de forma cientificamente tão perfeita, e silenciosa, que a filosofia moderna tende a eliminar a necessidade de Deus, como se tudo pudesse existir a partir do nada. Chegaram até a falar da “morte de Deus”.

A filosofia da “morte de Deus” desembocou na filosofia do desespero e da morte também do homem. São Tomás de Aquino disse que “quanto mais o homem se afasta de Deus, mais se aproxima do seu nada.” Há maravilhosas e complicadíssimas reações físico-químicas em todas as criaturas, mas você não vê o Físico-Químico responsável.

Há uma precisão matemática tão grande no movimento dos astros, que até acertamos o nosso relógio por eles, mas você não vê o grande Matemático desta obra. Ele não faz propaganda do seu Nome. Ele nunca aparece para receber os aplausos da platéia… Ele faz o Sol nascer todos os dias, rigorosamente… Ele faz a Lua girar em torno da Terra e refletir a luz do Sol… Ele faz cada Planeta girar em torno do Sol em uma órbita perfeitamente elíptica, com o astro rei no foco da cônica… Ele faz os elétrons girarem em torno do núcleo do átomo, obedecendo aos níveis de energia… Ele faz a terra germinar o grão e nascer a haste; a haste crescer e dar a espiga…

Jovem, você já pensou nisso? A natureza é como que um espelho através do qual se pode ver o “Rosto” de Deus. Ela é como uma “Carta de amor” que Ele escreveu para você. Aprenda a lê-la. É como aquele namorado apaixonado, que querendo demonstrar o seu amor à namorada escreveu o nome dela numa faixa de rua, depois, no muro da sua casa, e enfim, alugou um avião para poder jogar pétalas de rosas sobre a sua casa… Tudo para provar o seu amor!

Deus também faz assim conosco. Mas é preciso abrir os olhos para ver o seu amor. Nós estamos na Terra; um grão de areia no universo. Giramos ao redor do Sol com uma velocidade de 30 km/s ou 108 000 km/h; e o Sol gira ao redor da galáxia a 320 km/s, levando 250 milhões de anos para dar uma volta completa. Parece um sonho, mas é uma realidade, e nós estamos aí.

E é aí, como que no “ventre” do universo, na Terra, que a vida humana surgiu. Não sabemos se há vida em outros lugares; até agora nada há de confirmado pela ciência séria. Alguém disse que quando a vida humana surgiu na terra, “o universo exultou de alegria”. Foram necessários bilhões de anos para que a matéria inanimada chegasse até o homem, conduzida pela mão de Deus.

Os cientistas já sabem que há 300 milhões de anos a vida vegetal e animal já fervilhava sobre a face da terra. Quando o Gênesis narra a criação do mundo, de uma maneira poética mas reveladora, diz que após cada um dos seis dias, “Deus viu que tudo era bom”. (Gen 1, 10-25)

Tudo obedece um plano, uma idéia. Cada um de nós é um milagre da “engenharia” de Deus. Pense no seu cérebro, nas suas mãos, nos seus olhos…; e ainda mais, na sua inteligência, liberdade, vontade, capacidade de amar, sorrir, chorar, cantar, abraçar… Você é um milagre de Deus! O Deus é belo; a vida é bela; nada é absurdo!

Prof. Felipe Aquino

(http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/2012/08/31/deus-nao-faz-propaganda/)