A paciência na dor

pensandourl“A paciência produz uma obra perfeita”. Isso quer dizer que não existe coisa mais agradável a Deus do que sofrer com paciência e paz todas as cruzes por ele enviadas. É próprio do amor, fazer a pessoa que ama semelhante à pessoa amada. Dizia São Francisco de Sales: “Todas as chagas do Redentor são outras tantas palavras que nos ensinam como devemos sofrer por ele. Esta é a sabedoria dos santos, sofrer constantemente por Jesus; assim ficaremos logo santos”. Quem ama o Salvador deseja ser como Ele, pobre, sofredor e desprezado. São Joao viu todos os santos vestidos de branco, segurando palmas nas mãos. A palma é um símbolo de martírio; mas nem todos os santos foram martirizados. Por que então todos seguram palmas?

Responde São Gregório que todos os santos foram mártires ou pela espada ou pela paciência. E acrescenta: “Nós podemos ser mártires sem a espada, se guardarmos a paciência”.

O mérito de uma pessoa que ama Jesus Cristo consiste em amar e sofrer. Eis o que Deus fez Santa Teresa entender: “Pensa, minha filha, que o mérito consiste no gozar? Não, o mérito consiste em sofrer e amar. Veja minha vida cheia de dores. Acredite, minha filha, aquele que é mais amado por meu Pai recebe dele cruzes maiores; ao sofrimento corresponde o amor. Veja estas minhas chagas, as suas dores nunca chegarão a tanto. Pensar que meu Pai admite alguém na sua amizade sem o sofrimento é um absurdo…Mas acrescenta Santa Teresa: “Deus não manda nenhum sofrimento sem pagá-lo imediatamente com algum favor”.

São três as principais graças que Jesus faz às pessoas amadas por ele: a primeira, não pecar; a segunda, que é maior, o fazer boas obras; a terceira, que é a maior de todas, sofrer a por seu amor. Dizia Santa Teresa, que quando alguém faz algum bem a Deus, o Senhor lhe paga com alguma cruz. Eis porque os santos agradeciam a Deus ao receberem os sofrimentos.

São Luís, Rei da França, falando da escravidão que sofreu na Turquia, diz: “Eu me alegro e fico muito agradecido a Deus mais pela paciência que me concedeu na minha prisão do que se tivesse conquistado a terra inteira”. Sana Isabel, rainha da Hungria, tendo perdido seu esposo, foi expulsa do lugar onde morava com seu filho. Sem abrigo e abandonada por todos, dirigiu-se a um convento dos franciscanos e mandou cantar um hino de ação de graças a Deus pelo favor que ele lhe concedia ao fazê-la sofrer por seu amor.

São Afonso Maria de Ligório

LIGÓRIO, S. Afonso Maria. A prática do amor a Jesus Cristo. Trad. Pe.Gervásio Fábri dos Anjos, C.SS.R. Ed. Santuário: Aparecida/SP,1982,p.59-60.

Pesquisa mostra que pensar em Deus reduz a ansiedade e a dor

Ohio (Quarta-feira, 11-04-2012, Gaudium Press) Uma pesquisa realizada pela Bowling Green State University de Ohio (EUA) mostra que as pessoas que praticam a meditação espiritual, estão mais propícias a ter o nível de ansiedade diminuido além de suportar melhor a dor. Os cientistas pesquisadores chegaram a esta conclusão após fazer uma experiência com estudantes voluntários que foram reunidos em três grupos de meditação.

No primeiro grupo, os participantes deviam se concentrar e repetir frases como estas: “Deus é amor”, “Deus é paz”, entre outras. Para o segundo grupo foram escolhidos pensamentos do gênero “Sou feliz” e “Estou contente”. Quanto ao terceiro grupo, os voluntários tinham simplesmente que relaxar.

Todos os participantes da experiência praticaram esses exercícios vinte minutos por dia, durante duas semanas, enquanto os pesquisadores usavam técnicas psicológicas para avaliar o estado de ânimo de cada um deles.

Além disso, os pesquisadores testaram a resistência dos participantes à dor, medindo por quanto tempo eles conseguiam manter as mãos em um recipiente com água a 2 graus.

Os voluntários do primeiro grupo revelaram menor nível de ansiedade e foram capazes de suportar a água gelada durante um tempo duas vezes mais longo que os do segundo e do terceiro.

Segundo a diretora responsável pela experiência, Amy Wachholtz, “é possível que exista algo único e inerente à prática da meditação espiritual que não pode ser obtido por meio da meditação secular ou do simples relaxamento”.

Fonte: Gaudium Press