Vaticano lança urgente chamado ao cessar fogo na Síria

Imagem: Mapa de L’Américain (DC BY-SEJA 3.0)

VATICANO, 15 Jan. 14 / 04:56 pm (ACI/EWTN Noticias).- A Academia Pontifícia das Ciências celebrou ontem no Vaticano uma reunião sobre a guerra em Síria, na qual realizou-se um chamado ao fim imediato da violência, o começo da reconstrução e o início do diálogo entre as distintas comunidades.

A reunião, que teve lugar uma semana antes da conferência de paz da Genebra, foi aberta pelo presidente do Conselho Pontifício para o Diálogo Interreligioso, Cardeal Jean -Louis Tauran.

Em um comunicado publicado esta manhã se manifesta a esperança de que a conferência de paz, chamada Genebra-2, permita “ao povo da Síria, da região e do mundo conceber um novo início e pôr fim à violência que já cobrou mais de 130.000 vidas, deixando em ruínas e no caos um lindo país”.

Segundo os peritos internacionais que participaram desta jornada de trabalho, o primeiro passo é um cessar fogo: “todos os combatentes devem depor as armas, as potências estrangeiras devem tomar medidas para deter o fluxo de armamentos e seu financiamento”.

“A Santa Sé –diz o comunicado- apoia todas as religiões e todas as comunidades da Síria, com a esperança de um novo entendimento e a recuperação da confiança depois de anos de violência entre comunidades”. Para isso, o diálogo deve centrar-se nas “necessidades urgentes de reconstrução espiritual e comunitária”.

Os participantes da conferência expressaram também sua preocupação pela situação de milhões de refugiados sírios que “sofrem privações extremas potencialmente fatais em termos de mantimentos, saneamento, eletricidade, telecomunicações, transporte, e outras necessidades humanas básicas”.

(http://www.acidigital.com/noticia.php?id=26565)

Adotar uma paróquia na Síria: iniciativa para aliviar o sofrimento dos crentes vítimas da violência

Qamishli – Síria (Segunda-feira, 13-01-2014, Gaudium PressUm sacerdote católico armênio lançou uma campanha na Internet para prover as necessidades apostólicas dos refugiados de comunidades em Aleppo e Deir al Zor, na Síria, regiões afetadas pelo conflito armado que irá completar três anos de duração no país. Sua iniciativa tomou o nome de “Adote uma paróquia na Síria” e foi difundida pela Agência Fides, o informativo oficial das Pontifícias Obras Missionárias.

paroquia_na_siria.jpg

O chamado foi realizado na Festa da Epifania do Senhor e envolve a oração dos crentes ao redor do mundo “para que na distância, como os Reis Magos, em breve possamos ver o resplendor da Paz”. O autor da ideia é o Padre Karnik Youssef Hovsepian, da Paróquia de São José, em Qamishli, e as ajudas serão coletadas pelo Secretario do Patriarcado Armênio Católico, o Padre Vartan Kikaros, residente no Líbano.

As ajudas coletadas beneficiarão de forma prioritária as crianças, especialmente vulneráveis no contexto da violência. “Tenho que fazer algo por elas”, afirmou à Fides o Padre Hovsepian, “porque as crianças são o rosto do Senhor e precisamente o Senhor nos aconselhou a nos aproximarmos delas”. Os pequenos recebem também alimentação pelo menos duas vezes por semana, e a Igreja organiza algumas ajudas para as famílias mais necessitadas.

Uma das necessidades descritas é o combustível para a calefação das escolas, calculado em cerca de 4 mil litros. Esta necessidade foi particularmente evidente na Síria com a incomum nevasca registrada no Oriente Médio em meados de dezembro e que afetou Israel, Jordânia, Líbano, o Norte da Síria e outros países da região. Os refugiados que se beneficiarão com esta campanha pontual se encontram na cidade de Jazira. (GPE/EPC)

(http://www.gaudiumpress.org/content/54755#ixzz2qNCu43Qg )

O Papa reitera o seu chamado a rezar pela paz na Síria e no Oriente Médio

Papa Francisco. Foto: Grupo ACI

VATICANO, 30 Set. 13 / 08:02 am (ACI/EWTN Noticias).- Nas palavras que pronunciou antes da oração do Ângelus, na Praça de São Pedro, o Papa Francisco reiterou o seu chamado à oração pela paz na Síria e no Oriente Médio, ao saudar a sua Beatitude Youhanna X, patriarca greco-ortodoxo de Antioquia e de todo o Oriente.

“Dirijo uma saudação particular ao meu Irmão Sua Beatitude Youhanna X, Patriarca greco-ortodoxo de Antioquia e de todo o Oriente. A sua presença nos convida a rezar uma vez mais pela paz na Síria e no Oriente Médio”, disse o Santo Padre.

(Fonte: ACI Digital)

O Papa reitera seu chamado a rezar pela paz na Síria e em todo o mundo

VATICANO, 18 Set. 13 (ACI/EWTN Noticias) .- Ao recordar que neste sábado, 21 de setembro, as Nações Unidas celebram o Dia Internacional da Paz, o Papa Francisco pediu mais uma vez hoje orações pela paz na Síria e em todo o mundo.

“Convido os católicos de todo o mundo a unirem-se aos outros cristãos para continuar a implorar de Deus o dom da paz nos lugares mais atormentados do nosso planeta”, disse o Santo Padre.

“Possa a paz, dom de Jesus, morar sempre nos nossos corações e apoiar os propósitos e as ações dos responsáveis das Nações e de todos os homens de boa vontade”, exortou.

O Papa recordou também que “todos temos que nos comprometer em alentar os esforços para uma boa solução diplomática e política dos focos de guerra que ainda nos preocupam”.

“O meu pensamento vai especialmente para a querida população síria, cuja tragédia humana pode ser resolvida somente com o diálogo e a negociação, no respeito da justiça e da dignidade de cada pessoa, especialmente os mais frágeis e indefesos”, concluiu.

(Fonte: ACI Digital)

É uma loucura fazer guerra para levantar a bandeira da paz, adverte missionário da Síria

ROMA, 12 Set. 13 (ACI/EWTN Noticias) .- O Pe. David Fernández, missionário argentino do Instituto do Verbo Encarnado, afirmou que os cristãos em Aleppo (Síria), levam sua cruz com fé enquanto vivem na incerteza e rezam para que não haja uma intervenção militar porque “é uma loucura realizar ações bélicas para levantar a bandeira da paz”.

Em declarações à agência Fides, o sacerdote disse que “a população vive na incerteza e no sofrimento, mas ninguém pensa que pode ser liberado com as bombas e mísseis de uma intervenção militar estrangeira. Também acho que é uma loucura realizar ações bélicas para levantar a bandeira da paz. Todos oramos para que não se realize esta intervenção, e recuperemos de verdade a paz”.

O missionário argentino descreveu Aleppo como uma cidade sitiada pelas tropas rebeldes, onde “os fornos estão fechados, já que se carece inclusive da farinha para fazer o pão; não se pode dormir nem de dia nem de noite pelo barulho dos enfrentamentos e bombardeios que acontecem nos subúrbios da cidade”.

“Em meio de tudo isto muita gente leva sua cruz com fé e valor, pedindo o dom da paz a Deus, o único ao que ainda confiam suas esperanças”, afirmou.

Exemplo disso é que em agosto, na paróquia católica de rito latino, pregaram-se retiros para jovens, para as religiosas e mães. Nestes dias se está realizando outro para os sacerdotes, no que participam sacerdotes de diversos ritos.

(Fonte: Agência Zenit)